Festival Luso Brasileiro Sta Maria da Feira

[COMPETIÇÃO CURTAS METRAGENS]

CURTAS SESSÃO 2

Portugal, Brasil / 81'

2 DE JULH0
20:30

A MORTE BRANCA DO FEITICEIRO NEGRO de Rodrigo Ribeiro

Brasil / 2020 / 11'

SINOPSE

Memórias do passado esclavagista brasileiro transbordam em paisagens etéreas e ruídos angustiantes. Através de um ensaio poético visual, uma reflexão sobre silenciamento e invisibilidade do povo negro em diáspora, numa jornada íntima e sensorial.

TREINO PERIFÉRICO
de Welket Bungué

Portugal, Guiné-Bissau / 2020 / 19'

SINOPSE

Dois artistas saem para treinar, não cabem nos padrões do seu bairro, da sua cidade, nem da sua cultura impostora. "Acredito que a vossa descrição tão sensível me remete à capacidade que temos, de nos desenvolvermos para nos mantermos vivos nesse território que nos foi “devolvido” pelos colonizadores...", palavras do personagem Raça (Bruno Huca) ditas a Coragem (Isabél Zuaa). Este é um filme feito na periferia da "grande Lisboa" e discursa poética e assertivamente sobre ocupação territorial, pós-colonialismo e desigualdade social ainda vigente na cultura portuguesa.

NHA MILA
de Denise Fernandes

Portugal, Suiça / 2020 / 18'

SINOPSE

Depois de 14 anos longe da sua terra natal, Salomé viaja para a Ilha de Santiago, Cabo-Verde, para ver o seu irmão cuja vida está presa por um fio. Faz escala no aeroporto de Lisboa, onde Águeda, empregada de limpeza, a reconhece como "Mila", sua velha amiga de infância. Águeda convida-a a passar as horas de escala em sua casa, com as mulheres da sua família. Enquanto Salomé luta para desmagnetizar a dolorosa ligação com a sua terra, o espírito do bairro devolve-a à essência à qual ela pertence.

INABITÁVEL
de Enock Carvalho e Matheus Farias

Brasil / 2020 / 20'

SINOPSE

Pouco antes da pandemia, o mundo experimenta um fenômeno nunca antes visto. Marilene procura por sua filha Roberta, uma mulher trans que está desaparecida. Enquanto corre contra o tempo, ela descobre uma esperança para o futuro.

ATORDOADO, EU PERMANEÇO ATENTO
de Lucas H. Rossi e Henrique Amud

Brasil / 2020 / 15'

SINOPSE

O jornalista Dermi Azevedo nunca parou de lutar pelos direitos humanos e agora, três décadas após o fim da ditadura, assiste ao retorno das práticas daquela época
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram